domingo, 28 de abril de 2013

JOÃO FEIJÃO

Licença Creative Commons
Contei a história do João Feijão, ilustrando o desenvolvimento do feijão e fazendo um paralelo com o nosso desenvolvimento dentro da barriga da mãe. Eles chegaram até comparar as raízes que levam o alimento para o feijão com o cordão umbilical que leva o alimento da mãe para o bebê. Após a história fomos até a cozinha pegar feijões para plantá-los em copinhos e assim podermos acompanhar seu crescimento e nos comprometemos a cuidar dele, colocando água sempre que precisar, pois água é essencial para o seu crescimento, assim como vimos na história. 


Mas esses feijões não brotaram...

Algo deu errado na nossa plantação: os feijões não brotaram. E aí o que aconteceu? O que deu errado?  O que fizemos de errado? O que nós não fizemos?
Essas perguntas nós fizemos enquanto grupo e cada um foi falando o que achava:  colocamos pouco água, acho que foi muita água, o feijão não era bom, a Silmara deu pouco algodão para colocar no copinho, precisa mais de sol. Após toda essa reflexão decidimos plantar novamente, agora buscando corrigir os nossos erros. Os feijões eu trouxe de casa, antes era da escola; colocamos mais algodão; deixamos os copinhos dentro de um vaso para poder receber sol indiretamente e colocamos um pouco de água. E não é que deu certo! Os feijões se desenvolveram e assim que começaram a crescer cada criança levou o seu para casa para poder cuidar dele.  O G. D. e o K. disseram até que eram os bebês deles, que estava crescendo os braçinhos.  As crianças conseguiram fazer a analogia entre o nosso crescimento e o do feijão, alcançando assim o objetivo proposto

4 comentários:

  1. Adorei a ideia. Muito boa mesmo. Parabéns !!!

    ResponderExcluir
  2. Quase chorei ao ver a foto.
    Esse livro marca o início de minha rica trajetória de vida junto aos livros.
    Com quatro anos de idade, aprendi a ler e escrever, e, desde então, os livros são companheiros inseparáveis!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Carlos!
      Que alegria ao saber que proporcionei provocações em você de emoções boas...LER É BOM DEMAIS!!!
      Beijos

      Excluir